Você tem Extra-Sístoles Ventriculares e Palpitações Frequentes? Está sem controle adequado? Detesta usar medicamentos? Conheça um tratamento curativo! Surpreenda-se!

As Extra-Sístoles Ventriculares são muito freqüentes na prática clínica ((1)) ((2)) sendo que a maioria dos pacientes portadores dessa arritmia não apresenta qualquer tipo de doença cardíaca estrutural.

Neste cenário, admite-se um bom prognóstico a longo prazo, visto que a ocorrência de morte súbita é muito rara.

Coração Normal

Porém, como você viu no Caso Real de Renata (Caso #3), a presença das Extra-Sístoles ventriculares pode estar associada com sintomas de difícil controle clínico, como palpitação, dispnéia e intolerância aos esforços, principalmente quando em alta incidência, bem como a presença de efeitos colaterais relacionados à medicação. ((3))

Já fiz 5 ablações 4 em 2002/2003 e 1 em 02/202020 no incor estou quase sem poder fazer nada que provoca crise, remédio não faz mais efeito é agora?aguardo resposta.

Leitor S

Resposta do Dr. Leonardo Alves, Cardiologista.

O leitor S mostra toda a sua angústica com as ablações.

Talvez ele esteja falando do WPW e das ablações que não curam.

Mas o tratamento de Ablação para Extrassístoles é diferente do tratamento de ablação do WPW.

Quais as Formas de Extra-Sístoles Ventriculares?

As Extra-sístoles ventriculares podem se apresentar de forma:

  • isolada,
  • monomórfica e repetitiva,
  • com surtos de taquicardia ventricular (TV) não-sustentada
  • ou até mesmo na forma de TV sustentada

As formas mais observadas na prática clínica caracterizam-se pela morfologia de bloqueio de ramo esquerdo, com desvio inferior do eixo elétrico e sensibilidade à adenosina. A região da via de saída dos ventrículos é o local de origem nesses casos, mas pela proximidade da região, também podem se originar da Via de Saída do Ventrículo esquerdo.

 

Quando indicar a Ablação por Cateter?

O tratamento das Extra-sístoles ventriculares frequentes era tratado exclusivamente com medicações, como os Beta-bloqueadores, entretanto, surgiram novas possibilidades, como a Ablação por Cateter.

 

Quanto a Frequência das Extra-Sístoles ventriculares é maior que 20%?

O médico cardiologista deve estar atento à frequência com que as Extra-sístoles ocorrem, notadamente quando ocorrem mais que 20% de extra-sístoles ventriculares em relação ao número total de batimentos cardíacos.

Veja no Caso de Renata (Caso #3), que ela tinha 26mil extra-sístoles ventriculares monomórficas em um total de 115mil batimentos – o que representavam 23% do total de batimentos; e também o Caso #4 de Junio (muito interessante).

Holter Renata 2 Caso #3

Quanto os pacientes são Muito Sintomáticos:

Muitos pacientes não toleram as medicações, pois os efeitos colaterais podem ser grandes e também por que alguns anti-arrítmicos provocam mais arritmias – efeito pró-arrítmico da medicação.

Como você viu no caso de Renata, ela era muito sintomática a despeito das várias medicações que ela utilizou. Nesse caso, a ablação por cateter oferece uma boa opção de tratamento.

 

Quanto as Extra-sístoles ventriculares causam disfunção ventricular:

Você pode achar estranho, mas nós sempre dissemos que as Extra-sístoles em corações normais são benignas e não causam morte súbita nos pacientes, e que os corações estruturalmente saudáveis não sofrem com a presença de extra-sístoles ventriculares. ((6))

Mas há estudos mostrando que, quando a frequencia das extra-sístoles ventriculares é muito grande, existe a possibilidade delas causarem disfunção no ventrículo e fazer com que a força de contração torne-se menor e mais fraca – provocando insuficiência cardíaca.

Nessa situação, atualmente, está indicada também para os pacientes assintomáticos com disfunção ventricular e ausência de cardiopatia estrutural – pois imagina-se que as extra-sístoles sejam a causa do problema no coração.

Estes resultados sugerem que extra-sístoles ventriculares frequentes (> 20%) pode ser uma possível causa de disfunção ventricular esquerda e / ou insuficiência cardíaca e Ablação por Cateter de Alta frequência produz benefícios clínicos nesses pacientes. ((4))

 

Cura das Extra-Sístoles Ventriculares com Ablação por Cateter – Resultados?

Nos pacientes que preenchem os critérios acima, os dados recentes da literatura mostram significativa melhora da qualidade de vida e normalização da função miocárdica3,6,9.

  • Melhora na qualidade de vida;
  • Normalização da Disfunção Ventricular (melhora a força de contração dos ventrículos);

Há complicações no Tratamento?

A cardiologias e principalmente a arritmologia tem evoluido muito e a eficácia do procedimento de ablação por radiofrequência para Cura das extra-sístoles é bastante elevada com índices muito baixos de complicação. ((7)) ((7)) ((9))

 

Conclusões – é viável e eficiente!

A ablação por cateter é um método curativo, seguro e eficaz para o tratamento de pacientes com Extra-sístoles ventriculares freqüentes e sintomáticas.

Em pacientes com disfunção ventricular, a eliminação das Extra-sístoles ventriculares está associada à significativa melhora da Fração de Ejeção do Ventrículo Esquerdo.

 

Já pensou em se livra das Extra-Sístoles?

Já conversou com seu médico sobre essa possibilidade? Qual a frequência de suas extra-sístoles? É muito alta? 20%? 15%? 10%? Sabia que extra-sístoles frequentes podem machucar seu coração?

Sabia que a Sociedade Europeia de Cardiologia apoia amplamente o tratamento com Ablação por Radiofrequência até mesmo para pacientes com poucas extra-sístoles?

Deixe seu comentário!

Regras dos comentário:

Esse blog e todos os seus artigos não são consulta médica. Foram escritos pelo Dr. Leonardo Alves - Médico Cardiologista de Teófilo Otoni, MG (CRMMG: 33.669).

Sempre confie e dê mais atenção na opinião do seu médico, pois ele te examinou. Nada substitui a consulta médica presencial, com seu médico de confiança.

Ao comentar, você entende e concorda que seu comentário ficará público e poderá ser utilizado no blog em outros artigos. Qualquer resposta aos comentários não constituem consulta médica e o autor não tem intenção de fazê-lo. Sempre confie no seu médico de confiança.

WhatsApp chat