Angina de peito ou angina pectoris é o nome dado à dor no peito (dor torácica) provocada pela falta de oxigenação (falta de sangue) no músculo cardíaco (músculo do coração, também conhecido como miocárdio).

Na grande maioria das vezes, a angina está relacionada a doenças que causam obstrução nas artérias coronárias: artérias responsáveis por levar sangue ao coração.

O que é Angina?

A angina de peito ou angina pectoris é um problema que causa muita confusão nos leitores e pacientes. Veja abaixo a definição oficial da Sociedade Brasileira de Cardiologia.

Definição de angina: A angina é uma síndrome clínica caracterizada por dor ou desconforto em qualquer das seguintes regiões: tórax, epigástrio, mandíbula, ombro, dorso ou membros superiores, sendo tipicamente desencadeada ou agravada com atividade física ou estresse emocional e atenuada com uso de nitroglicerina e derivados.

Sociedade Brasileira de Cardiologia.

De acordo com a Wikipedia: 

o termo angina pectoris deriva do latim angere (“estrangular”) e pectus (“peito”), e pode, portanto, ser traduzido como «estrangulamento do peito».

Wikipedia

Riscos da Angina

E se a Angina não for tratada, ela pode evoluir para infarto do miocárdio, na grande maioria das vezes, principalmente se a angina for do tipo instável (como veremos a seguir).

Mas há outras causas de angina que não estão relacionadas à falta de suprimento de sangue ao miocárdio: quando o músculo cardíaco está espessado (grosso) ou quando há problemas nas válvulas do coração (estenose aórtica), dentre outras causas.

Angina é um sintoma grave!

Quando um paciente sente uma dor no peito ele logo acha que se trata de Angina é já pensa logo em infarto do miocárdio – todos sabem que a angina de peito é um dos sintomas cardíacos mais graves.

Já o médico, quando se vê diante de um paciente reclamando de Angina, ele sabe que se trata de algo grave que pode levar o paciente à morte ou a sequelas cardíacas graves.

Quando o sintoma de Angina surge, pacientes e médicos precisam estar muito atentos e procurar ajuda o mais rápido possível.

Causas de Angina de peito

Em um coração saudável, o fluxo de sangue para o coração se mantém constante, entregando uma quantidade adequada de nutrientes ao coração (oxigênio, principalmente).

Quando o coração está em repouso, sem qualquer situação de estresse, o fluxo de sangue e a demanda por oxigênio para o coração é estável.

Durante o esforço, o fluxo de sangue para o coração precisa ser aumentado para suprir as novas necessidades. Assim, as artérias coronárias se dilatam e a passagem se sangue e nutrientes fica maior.

Em situações de normalidade, em pessoas saudáveis, esse controle entre fluxo de sangue e necessidade de oxigênio se mantém equilibrada – não causando nenhum sintoma.

Angina: um Desequilíbrio entre oferta e demanda:

A angina ocorre quando a carga de trabalho do coração (e a necessidade maior de oxigênio) excede a capacidade das artérias coronarianas de suprir sangue ao coração.

Essa situação normalmente ocorre quando há aterosclerose (placas de gordura).

Causas comuns de Angina

De longe, a principal causa da angina de peito é a redução do fluxo de sangue para o músculo do coração.

E a maior causa da obstrução é a aterosclerose uma doença na qual ocorre acúmulo de placas de gordura nas coronárias reduzindo a luz do vaso e dificultando o fluxo de sangue para o miocárdio.

Esse acúmulo de gordura dentro das artérias coronárias também é conhecido como placa aterosclerótica (aterosclerose).

Normalmente, a Angina de peito ocorre quando o entupimento atinge mais de 70 % (setenta) do diâmetro do vaso e surgirá se o paciente realiza algum esforço seja esforço físico ou esforço emocional.

Diante desse esforço, o coração é mais exigido e precisará de maior fluxo de sangue para seus músculos. Mas diante da redução do fluxo de sangue, a oferta de sangue e nutrientes está reduzida levando a uma situação conhecida como isquemia e como a isquemia, surge a angina de peito (angina pectoris).

O que é Isquemia?

Qualquer situação onde o fluxo sanguíneo é inadequado para qualquer tecido é denominado isquemia.

  • Isquemia miocárdica (para o músculo cardíaco).
  • Isquemia cerebral (para o cérebro).
  • Isquemia mesentérica (para artérias que irrigam o intestino).
  • Isquemia periférica (para artérias que irrigam as pernas).

Situações que reduzem a oferta de oxigênio e provocam isquemia:

  • Aterosclerose
  • Espasmo coronariano.
  • Anemia grave (menos hemoglobina e menos transporte de oxigênio no sangue).

Situações que aumentam a demanda de oxigênio:

  • Exercício.
  • Outras causas.

A aterosclerose é causada por muitos fatores de risco, como idade avançada, hipertensão, diabetes, hipercolesterolemia, tabagismo, histórico familiar e sedentarismo. 

Aparecimento de Angina e o nível de Obstrução nas artérias:

Como já dito, a angina de peito ocorre quando há um desequilíbrio entre a oferta de oxigênio em relação à demanda por oxigênio.

Em suma, um desequilíbrio entre a oferta de oxigênio e sua demanda.

Pensando somente no nível de obstrução da artéria coronária, quando a redução da luz da artéria coronariana é maior, menor será a oferta de oxigênio:

Tamanho da placa, oferta de oxigênio e a Angina:

  1. Nenhuma obstrução: oferta total – 100%;
  2. Placa com Obstrução de 30%: oferta de oxigênio reduzida em 30%;
  3. Placa com Obstrução de 50%: oferta de oxigênio reduzida em 50%;
  4. Placa com Obstrução de 70%: oferta de oxigênio reduzida em 70%;
  5. Placa com Obstrução de 90%: oferta de oxigênio reduzida em 90%;
  6. Placa com Obstrução de 100%: redução total da oferta de oxigênio;

O leitor mais rigoroso deverá entender que a ilustração acima é mais didática do que 100% verdade, pois não existe apenas um fator que determina a oferta de oxigênio ao músculo. 

Tamanho da Placa e Presença de Angina

O surgimento da Angina dependerá de um desequilíbrio entre a oferta de oxigênio e nutritentes (fluxo de sangue) e o nível de exercício feito pelo paciente.

Assim, muitas vezes a angina só ocorre em situações nas quais a obstrução ao fluxo de sangue está maior que 60% ou 70% e o paciente realiza um esforço físico intenso.

 

Exercício / Placa / Angina

  1. Corrida 5 km + Obstrução de 30% = Sem Angina.
  2. Corrida 5 km + Obstrução de 80% = Com Angina.

Outra situação e Outro Paciente:

  1. Corrida 10 km + Obstrução 30% = Sem Angina.
  2. Corrida 10 km + Obstrução 70% = Com Angina

Existem outros fatores que modificam a oferta de oxigênio, dentre elas:

Nível de hemoglobina no sangue e Angina de peito.

Uma anemia muito grave aumenta as chances de angina.

Na anemia, o número de glóbulos vermelhos (que contêm hemoglobina), a molécula que transportam oxigênio nestas células encontram-se abaixo dos valores normais. Como consequência, ocorrerá uma redução do transporte de oxigênio ao músculo cardíaco.

Artéria coronária de calibre (naturalmente) reduzido:

Em algumas situações as artérias coronárias podem nascer pequenas ou se desenvolverem pouco levando uma menor quantidade de oxigênio para o músculo.

Causas Incomuns de Angina de Peito

Além da aterosclerose, existem outras causas incomuns de Angina.

Dentre elas, podemos citar:

  1. Síndrome metabólica
  2. Hipertensão arterial sistêmica.
  3. Estenose da válvula aórtica.
  4. Insuficiência aórtica.
  5. Espessamento e hipertrofia das paredes do Ventrículo esquerdo (como na miocardiopatia hipertrófica).

Nessas situações clínicas, não há redução da oferta de oxigênio, mas um aumento de demanda (de necessidade por oxigênio).

Quando a necessidade de oxigênio excede o suprimento, ocorre angina.

Anormalidades da valva aórtica podem reduzir o fluxo de sangue através das artérias coronarianas, pois as aberturas das artérias coronarianas estão localizadas logo após essa válvula.

Sintomas de Angina

Como toda dor em medicina, o médico precisa determinar suas características com precisão e determinar quais os sintomas de dor no coração.

Como é a dor de Angina?

Como é a dor de Angina? No geral, a angina se manifesta como uma sensação de dor ou sensação de desconforto no centro do peito, de localização mal definida.

Os Pacientes relatam sintomas tais como:

  • Aperto no peito.
  • Peso no peito
  • Sufocamento no peito
  • Queimação no peito
  • Estrangulamento no peito.
  • Opressão no peito.

Características da Angina pectoris?

Como não é a dor de Angina?

Raramente o paciente com Angina descreve sua dor pontada no peito, nem uma dor localizada, entre uma costela e outra.

Dores de localização muito bem definida (apontada com a ponta de um dedo) ou de duração rápida, de alguns segundos, não são angina e mais parecem com palpitações ou dores de origem muscular.

Em qual parte do peito é a Angina?

Na maioria das vezes: A Angina normalmente se localiza no centro do peito, logo abaixo do osso esterno, um pouco mais à esquerda.

Angina na “Boca-do-Estômago”: às vezes, a angina pode ocorrer abaixo do esterno, na “boca do estômago”, pode parecer também parecer com azia e queimação no estômago.

Quando se confunde com Azia, a angina pode ser aliviada com arrotos ou
com antiácidos.

Quando faço caminhada sinto ardência no peito, também muita azia. Eu Arroto muito e tenho gazes. Isso pode ser sinal de infarto?

Bia, Leitora.

Dor no peito e Azia provocados pelo esforço: O comentário da Bia, acima, é uma queixa que merece atenção. Ardor no peito após fazer caminhada chama atenção e merece atenção e consulta médica.

Angina nas costas: a angina pode se manifestar como dor nas costas ou no ombro. Nessas situações, pode ser confundida com artrite ou artrose, ou até mesmo com bursite.

Angina após as  refeições: a angina pode ser confundida com azia e úlcera péptica, pois pode ocorrer

Idosos confundem a dor: A angina não é comum em pessoas jovens. Normalmente ela ocorre em pessoas idosas. Às vezes, os idosos são tão idosos, que não sabem descrever a sua angina e ficam confusos.

Jovens raramente infartam: é muito, mas muiro raro que jovens infartem.

Olá, meu nome é JJ, Eu tenho 19 anos de idade, a 2 anos 5 meses que sinto uma pontada no peito no lado esquerdo,

O que admira-me é que nunca fumei, nunca consumi álcool só não entendo porque disso, mais faço muito exercícios.

JJ, leitor do Blog.

No comentário acima, é comum encontrar jovens com dor no peito. Note a diferença:

  • Jovem, 19 anos.
  • Dor no peito.
  • Sem fatores de Risco para infarto.
  • Sem Hipertensão arterial (pressão alta).
  • Sem obesidade.
  • Sem tabagismo.
  • Exercita-se muito e NÃO TEM DOR DURANTE O EXERCÍCIO.

Ora, Se não há dor durante ou imediatamente após o exercício, dificilmente é infarto.

Esse tipo de dor é muito sugestiva de dor por causas músculo-esqueléticas – como a costocondrite.

A angina em mulheres é diferente!

A angina pode ser diferente nas mulheres. Muitas das vezes, as mulheres sentem um desconforto do tipo queimação ou sensibilidade nas costas, ombros ou até mesmo na mandíbula.

Eu já tive pacientes que descreveram a angina como uma dor de dentes após uma corrida leve.

Angina em mulher é (pode ser) realmente diferente.

Como surge a angina?

A angina estável normalmente surge após um esforço físico (ou emocional). Muitos pacientes descrevem a sua dor da seguinte forma:

“Eu senti um desconforto no peito após brigar com minha filha (o) ”.

E outra…

“Eu tive um aperto no peito meia hora após a pelada com os amigos. “

“Eu tive uma queimação no peito após subir o moro da casa da minha tia. “

E outra…

Como você nota, na grande maioria das vezes, a dor é provocada por um esforço físico.

Há diversas outras situações que podem provocar um Angina de peito:

  • Angina após Refeições volumosas.
  • Angina após Clima frio ou mudança brusca de temperatura.
  • Angina após estresse emocional.
  • Angina após emoção forte.
  • Angina após pesadelo, durante a noite (na angina noturna).

Carcterísticas da Angina

A imagem acima mostra os locais específicos da dor da Angina. Abaixo, veja as características da dor no peito anginosa.

Qualidade:

Constritiva, aperto, peso, opressão, desconforto, queimação e pontada

Localização:

precordial, retroesternal, ombro, epigástrio, cervical, hemitórax e dorso

Irradiação:

a dor irradia-se para os membros superiores (direito, esquerdo ou ambos), ombro, mandíbula, pescoço, dorso e região epigástrica

Duração:

segundos, minutos, horas e dias (raramente). Quando dura hora ou dias costuma ser infartou ou não ser angina.

Fatores desencadeantes:

esforço físico, atividade sexual, posição, alimentação, respiração, componente emocional e espontânea;

Fatores de alívio:

repouso, nitrato sublingual, analgésico, alimentação, antiácido, posição e apneia

Sintomas associados:

sudorese, náusea, vômito, palidez, dispneia, hemoptise, tosse, pré-síncope e síncope.

Ainda Estou com dúvidas:

Mesmo com as características e explicações acima, médicos e pacientes podem ter dúvidas se tem ou não angina de peito.

Às vezes, o paciente tem uma Dor que piora com o exercício, mas não ALIVIA com o exercício.

Às vezes, a dor é retroesternal, mas não piora com o exercício.

Nesta situação, a Sociedades de cardiologia orientam avaliar pontos para cada critério conforme a foto abaixo:

Critérios:
Três Critérios: Dor Anginosa Definitiva.
Dois Critérios: Dor Provavelmente Anginosa.
Um ou Nenhum Critério: Dor não cardíaca.

Como aliviar a Angina?

Da mesma forma como a dor da angina é provocada pelo esforço, ela é aliviada pelo repouso.

Se você está sentindo uma dor no peito que parece com angina, a primeira coisa a fazer é ficar totalmente em repouso e ligar para o serviço de urgência.

Quanto tempo dura um crise de angina?

Normalmente, a angina dura entre 3 a 15 minutos.

Não é comum que a angina dure muito mais tempo que 10 minutos (às vezes 15 minutos) e o repouso traz alívio da dor em até 3 minutos.

Quanto mais tempo durar a dor da angina, maior a chance de você estar  diante de um infarto do miocárdio, principalmente se sua dor for intensa, súbita e muito prolongada.

No infarto do miocárdio, há o entupimento súbito e total de um vaso do coração e há necessidade de atendimento imediato devido ao risco iminente de morte ou graves complicações. 

Angina não dura dias!

Por outro lado, Angina de peito não dura dois dias.

Faz uns dois meses que sinto dor no peito todos os dias! Quando comecei sentir procurei um médico e fiz o ecocardiograma ,eletro e teste ergométrico. Todos dentro das normalidades. Nos exames de laboratório o colesterol deu um pouco alto.

Antônio, Leitor.

A queixa acima, do Antônio, é uma dor no peito que dura dias e dificilmente seria infarto ou angina. Como ele mesmo diz, seu médico descartou o infarto. De todo modo, é fundamental uma avaliação médica.

Dificilmente o paciente suporta tanta dor ao ponto de ficar em casa por um
ou dois dias com uma Angina de peito.

E quando a dor dura mais tempo que que os 10 a 15 minutos, muito
provável que se trate de um infarto do miocárdio.

A angina irradia para…

É bem comum que a angina de peito se irradie para algumas regiões do
corpo, como:

  • Pescoço,
  • Braço,
  • Ombros,
  • Mandíbula ou
  • Costas (raramente). 

Sintomas que acompanham a angina.

A Angina de peito quase nunca ocorre isoladamente.

No geral, há outros sintomas como:

  • Ânsia,
  • Náusea,
  • Indigestão,
  • Suor frio,
  • Falta de ar e
  • Palidez.

Isquemia Silenciosa

Nem toda isquemia é acompanhada de dor de angina.

E quando a isquemia não se manifesta com dor, ela é chamada de isquemia silenciosa (sem dor).

A isquemia silenciosa pode ser tão grave quanto a angina que se manifesta. Com angina não se brinca!

Classificação da Angina de Peito

Angina Noturna

A Angina noturna é aquela que ocorre à noite, como paciente em repouso. Nessas situações, normalmente há obstruções coronarianas maiores que 70% da luz do vaso.

O médico precisa estar atento e descartar a presença de algumas situações que podem estar ocorrendo durante o período do sono:

  • Apneia obstrutiva do sono;
  • Arritmias cardíacas;
  • Hipertensão arterial grave, descontrolada.
  • Dentre outras situações.

Angina Estável

Angina estável é a dor ou desconforto no tórax que normalmente ocorre devido (ou provocada) pela atividade ou esforço (seja ele físico ou emocional).

Os episódios de dor ou desconforto (angina) são provocados por quantidades semelhantes ou consistentes de atividade ou esforço.

Um exemplo de queixa comum:

“ Eu tenho dor no peito todas as vezes que subo o morro que me leva à minha casa. ”

Outra situação…

“ Eu sinto dor e queimação no peito todas as vezes em que aqueço meu sangue, após cerca de 30 minutos de corrida. “

Outra situação…

Nas situações descritas acima, o paciente até já sabe dos fatores desencadeantes e do momento em que a dor no peito ocorrerá. 

Trata-se de uma oportunidade única para que o médico faça o diagnóstico, confie na história do paciente e investigue seus sintomas até fazer o diagnóstico correto.

Nível de obstrução coronariana e Angina de esforço:

No geral, as
obstruções coronarianas são maiores que 70% e a dor anginosa surge quando o
paciente faz um esforço físico ou emocional.

Angina de Decúbito:

A Angina de decúbito ocorre quando o paciente está deitado, mesmo que não seja de noite, e a angina ocorre sem qualquer causa aparente (ou qualquer esforço aparente).

A angina de decúbito ocorre porque a gravidade redistribui líquidos no corpo. Esta redistribuição faz o coração trabalhar mais.

Nível de obstrução coronariana e Angina de decúbito:

No geral, as obstruções coronarianas são maiores que 70% ou 90% – é uma situação extremamente grave, pois o vaso está quase se fechando completamente.

Angina variante

A angina variante é causada por um espasmo de uma das grandes artérias coronarianas.

Ela é chamada variante porque se caracteriza por dor durante o repouso, não ocorrendo durante o esforço físico.

Além da dor, há alterações específicas detectadas através de um eletrocardiograma (ECG) durante um episódio de angina.

Nível de obstrução coronariana e Angina Variante:

As obstruções coronarianas são pequenas, podem nem existir ou chegar a até 50% da luz do vaso. É muito variável até mesmo o nível de obstrução.

Como é o espasmo no coração?

O espasmo coronário é uma obstrução súbita ou um estreitamento súbito da luz da artéria coronária que pode causar angina de peito.

O espasmo reduz o tamanho da luz das artérias reduzindo airrigação para o miocárdio, podendo provocar sintomas de angina do peito e até mesmo o infarto do miocárdio.

A angina do peito aparece quando a quantidade de oxigênio para o miocárdio é bastante reduzida. Quando esta redução do fluxo de sangue é causada por espasmo, chamamos de angina espástica e seu sintoma de Angina Variante.

Angina Instável

A angina instável refere-se à angina na qual o padrão de sintomas se altera em relação ao que o paciente já conhece (da angina estável).

Como as características de angina em uma determinada pessoa geralmente permanecem constantes, qualquer alteração – como dor mais grave, ataques mais frequentes, ou ataques que ocorrem com menos esforço ou durante o repouso – é Grave.

As principais alterações que chamam a atenção para uma angina instável são:

  • Dor mais forte.
  • Dor surgindo em menor nível deesforço.
  • Dor mais prolongada.
  • Dor que demora mais tempo para melhorar.

Portanto, a angina instável é uma situação de extrema gravidade que necessita de atendimento imediato.

Nível de obstrução coronariana e Angina Instável:

Normalmente, a angina instável surge de um estreitamento súbito de uma artéria coronária por um coágulo que se forma sobre uma placa (já antiga).

O risco de um ataque cardíaco é elevado. A angina instável é considerada uma síndrome coronariana aguda.

O que é Angina Refratária?

A angina refratária é a angina de peito que não pode ser controlada e melhorada pela combinação de tratamento medicamentoso (remédio), angioplastia ou cirurgia de revascularização miocárdica (CRVM).

Cerca de 8 a 10% dos casos de Angina são classificados como Angina Refratária.

Com a evolução dos medicamentos e com as várias possibilidade de Angioplastia e cirurgia de revascularização, há cada vez menos casos de angina refratária (que não melhoram com o tratamento).

Tenho angina, Já fiz ponte safena, estou tomando atenolol 50mg, cardizen 30mg e AAS. O que mais poderia tomar p/prevenir?

ABI, leito do blog.

Quando o paciente já conhece sua angina, quando já fez o tratamento com cirurgia ou Angioplastia e ainda sente dores, como o leitor acima, é necessário conversar com seu médico.

Atualmente, há novas opções de tratamento, novos medicamentos que podem ajudar muito no tratamento e no alívio de sintomas.

Diferença entre Angina e Infarto do Miocárdio!

angina do miocárdio e o infarto do miocárdio provocam uma dor no peito com características muito parecidas.

Por isso, é muito importante saber separar um da outra.

O que Angina e infarto tem em comum?

Angina e infarto tem em comum o fato de que ambas são causadas por fluxo inadequado de sangue nas artérias coronárias, artérias que irrigam o músculo do coração (miocárdio).

É Angina ou infarto do miocárdio?

A principal diferença entre Angina e infarto é que na angina de peito o fluxo está reduzido, mas não o suficiente para causar necrose do músculo cardíaco.

Já no infarto do miocárdio, o fluxo está (ou foi) 100% obstruído, causando necrose (morte) do músculo do coração.

Como diferenciar entre Angina e Infarto?

No geral, um médico experiente consegue ter uma boa suspeita entre angina de peito e infarto.

Mas a melhor forma de separar a Angina no Infarto é através de exames de sangue e do eletrocardiograma como veremos a seguir.

Diagnóstico de Angina de peito

O diagnóstico da Angina de peito é de início um diagnóstico clínico, baseado nos sintomas relatados ao médico e também com base nos fatores de risco do paciente.

Após esta avaliação inicial muito importante, alguns exames complementares podem ser solicitados para pesquisar a causa e confirmar ou afastar o diagnóstico de angina.

Angina com pressão arterial normal – é possível?

Esta é uma dúvida muito frequente nos pacientes e a resposta é SIM.

É possível que o paciente apresente um quado de Angina e sua pressão arterial esteja completamente normal.

Exames para o diagnóstico de Angina de Peito:

Os principais exames para o diagnóstico de angina de peito são:

  • Eletrocardiograma (ECG).
  • Teste ergométrico (teste de esforço).
  • Ecocardiograma com doppler.
  • Cintilografia Miocárdica.
  • Cateterismo cardíaco (angiografia coronariana).
  • Holter de 24 horas.
  • Exames de laboratorias (sangue).

Eletrocardiograma e Angina

O eletrocardiograma é o exame mais solicitado pelos médicos para o diagnóstico da Angina pectoris.

Depois de uma investigação clínica (entrevista) bem detalhaada e um exame físico bem feito, os médicos solicitam o eletrocardiograma de imediato.

Eletro não é fiel no diagnóstico de Angina

O ECG fornece informações muito importante para o seu médico, entretanto, é possível que o electrocardiograma (ECG) não detecte nada anormal logo no início da dor aou até mesmo durante as crises de Angina de peito.

ECG normal não afasta o diagnóstico de Angina de Peito.

Por isso, todo médico fica “esperto” (e precavido) quando está diante de um paciente com dor típica de angina e o ECG do paciente etá normal – não se pode confiar somente no eletro.

Na angina, o que o ECG mostra?

Durante uma crise, o eletrocariograma pode mostrar:

  • Frequencia cardíaca aumentada.
  • Alterações nos batimentos cardíacos.
  • Alterações na atividade elétrica do coração.
  • Inversões na “onda T”.
  • Dentre outras.

Quando os sintomas muito parecidos com Angina – quando o paciente tem uma Angina Típica, o diagnóstico médico geralmente é simples.

Tipo de dor e fatores de Risco na Angina

O tipo de dor, sua localização e sua associação com o esforço ou estresse emocional ajuda muito os médicos a fazerem o diagnóstico.

A presença de fatores de risco para doença arterial coronariana, como hipertensão arterial, colesterol alto, diabetes, tabagismo, sedentarismo, idade avançada, história familiar de infarto também ajudam a estabelecer o diagnóstico.

Além do Eletro, é necessário outros exames para o diagnóstico correto da Angina.

Entretanto, mesmo com toda a habilidade médica, outros exames são necessários para avaliar o suprimento inadequado de sangue para o músculo cardíaco e determinar se a doença arterial coronariana está presente.

Teste ergométrico e a Angina de peito.

Para entender a importância do Teste ergométrico, lembre-se que no início desse artigo, falamos que, se as artérias coronarianas estiverem apenas parcialmente bloqueadas (no caso da Angina estável), o coração pode ter um fornecimento de sangue adequado com o paciente em repouso.

Porém, quando o coração do paciente é submetido a um grande esforço através de exercícios como no Teste Ergométrico, os sintomas de Angina pectoris e as alterações no eletrocardiograma podem aparecer e se tornarem mais claras para o médico fazer o diagnóstico.

Durante o teste ergométrico, a pessoa é monitorada pelo ECG para identificação de anormalidades que indiquem a presença de isquemia.

Teste ergométrico com resosta isquêmica

Quando o Teste ergométrico tem na sua conclusão a frase: “teste ergométrico com resposta isquêmica” quer dizer que há suspeita de que a dor do paciente está relacinada com isquemia e uma avaliação adicional possa ser necessária.

Teste ergométrico sem resposta isquêmica

Por outro lado, quando o médico conclui no laudo que o “Teste ergométrico sem resposta isquêmica” é um forte indício de que a dor do paciente não seja causada por angina ou isquemia e outra causa deve ser investigada.

Teste ergométrico inconclusivo para isquemia

Por diversos motivos, o teste ergométrico pode dar um resultado inconclusivo, ou seja, o médico não consegue tirar conclusões fiéis para afastar o diagnóstico de Angina.

As principais situações que levam ao Teste ergométrico inconclusivo são:

  • Paciente não consegue caminhar na esteira.
  • A frequencia do paciente não acelera o suficiente.
  • O paciente está em uso de medicações que atrpalham o teste.
  • Paciente com deficiências físicas motoras (cadeirantes).
  • Dentre outras.

Nessas condiçoes, outros procedimentos podem ajudar os médicos a determinar melhor o diangóstico de Angina.

Ecocardiograma na Angina

O ecocardiograma é um exame extremamente útil no diagnóstico de angina.

Ele mostra o tamanho do coração, o movimento do músculo cardíaco, o fluxo de sangue através das válvulas do coração e a função valvular.

Quando a isquemia está presente, o movimento de bombeamento do ventrículo esquerdo é anormal – chamado de Alteração segmentar da contratilidade.

Ecocardiograma de Estresse

O ecocardiograma de estresse nada mais é do que o ecocardiograma de efsorço.

Para realizar esse exame, o paciente recebe uma injeção de medicações que aceleram seu coração ou realizam um esforço físico em uma esteira adaptada.

Eco de Estresse positivo para isquemia

Quando o ecocardiograma de estresse se mostra positivo para isquemia (no laudo) – com alterações da contratilidade induzida pelo esforço o médico precisa continuar a investiação da Angina.

Eco de estresse negativo para isquemia.

Quando o Eco de Estresse se mostra negativo para isquemia, ou seja, sem alterações na contração do músculo após efsorço físico, é um ótimo indicativo de que a dor do paciente não é causada por angina ou isquemia.

Cintilografia e angina de peito.

A cintilografia miocárdica é um outro exame muito utilizado no diangóstico da angina de peito.

Para facilitar a compreensão, a cintilografia é um exame onde o paciente realiza um teste ergométrico (de esforço) e são utilizadas medicações para investigar a presença ou ausência de isquemia e angina.

Baixa probabilidade de isquemia.

O resultado que médicos e pacientes mais esperam no laudo da cintilografia é a frase: “Baixa probabilidade de isquemia induzida pelo esforço“.

Alta probabilidade de isquemia.

Por outro lado, o resultado que médicos não esperam no laudo da cintilografia é a frase: “Alta probabilidade de isquemia induzida pelo esforço“.

Holter de 24 horas e Angina

O holter de 24 horas é um Eletrocardiograma contínuo que faz a monitorização contínua de ECG durante um dia inteiro.

Liga-se um aparelho de ECG no paciente e ele vai para casa com ele, ficando 24 horas monitorado.

O principal objetivo do Holter é detectar anomalias, indicando isquemia sintomática ou silenciosa ou angina variante (que normalmente ocorre durante o repouso).

Qual Exames de Sangue detectam Angina e infarto?

Quando um paciente chega ao pronto socorro com suspeita de Angina os sintomas e o ECG não permitem distinguir se está ocorredo um infarto do miocárdio ou se o bloqueio é temporário (apenas uma angina).

assim, o diagnóstico correto do infarto do miocárdio se baseia em alterações do eletrocardiograma e em alguns exames de sangue.

Os exames que detectm infarto são:

  • CK-MB – creatinofosfoquinase (MB).
  • Mioglobina.
  • Troponina.

Como interpretar o exame de sangue para Infarto e Angina?

Na grande maioria das vezes, o diagnóstico de Angina de peito é feito por um exame de sangue negativo para infarto.

Vamos enender melhor: Os exames de sangue para Anginia procuram classificar o paciente em duas situações:

  • Pacientes com exames de sangue normais (paciente sem angina e pacientes com angina).
  • Pacientes com exames de sangue alterados (pacientes com infarto do miocárdio).

Meu exame de sangue deu negativo para infarto.

Nesta situação, o médico pode estar diante de duas situações:

  1. Paciente sem probelma cardíaco.
  2. Paciente com Angina de peito (sem infarto).

Meu exame de sangue deu positivo para infarto.

Nesse caso, pior. O exame de sangue positivo para infarto pode significar a presença de infarto e o médico precisa agir com mais agilidade.

O resultado positivo dessese exames pode detectar um infarto do miocárdio e até mesmo avaliar o tamanho e gravidade do mesmo.

Exames para Angina: Quais os resultados esperados?

Resumidadmente, podemos dizer que os resultados esperados nos exames que invetigam o infarto são:

  1. ECG: Normal, sem alterações isquêmicas.
  2. Teste ergométrico: Ausência de alterações clínicas e eletrocardiográficas sugestivas de isquemia.
  3. Ecocardiograma transtorácico: Normal, contratilidade do miocárdio normal ou preservada.
  4. Holter 24 horas: Ausência de isquemia no traçado de 24 horas.
  5. Ecocardiograma de estresse: Ausência de alterações na contratilidade do miocárdio induzidas pelo esforço.
  6. Cintilografia miocárdica: Baixa probabilidade de isquemia do miocárdio.

E quando um exame indica isquemia?

Quando um dos exames acima indica a presença ou suspetia de isquemia o paciente deverá se submeter ao cateterismo cardíaco ou outro exame mais avançado.

Nesses casos, o olhar do médico se procupará em saber se o paciente devará ou não realizar uma Angioplastia ou uma cirurgia de revascularização do miocárdio (ponte de safena).

Angina pode matar?

Sim, Agina pode matar!

O prognóstio, ou seja, a chance de uma angina progredir para algo mais sério e fatal também dependerá dos fatores de risco para infarto. Os principais fatores são:

  • Idade avançada.
  • Presença de doença coronariana já conhecida.
  • Diabetes.
  • Tabagismo.
  • Insuficiência cardíaca (coração grande e fraco).
  • Dentre outras.

Quando falamos em presença de doença coronariana e risco da angina se transformar em infarto, quanto maior o bloqueio das artérias, pior é o prognóstico (chance de infarto e morte).

Pacientes com Angina Estável tem melhor prognóstico quando comparado com outros tipos de Angina.

Teste ergométrico avaliando o risco de morte por Angina.

O teste ergométrico desempenha um importante papel na avaliação do risco de morte em pacientes com Angina.

Aqueles pacientes que ultrapassam o 3º estágio do protocolo de Bruce, a taxa de mortalidade anual é ao redor de 1%.

Já os pacientes que fazem o tester ergométrico e não chegam a 5 mets de esforço a mortalidade anual gira em torno de 5% – ou seja, 5 vezes. maior.

Ecocardiograma e o risco de morte por Angina.

O estudo GISSI demonstrou que um dos principais fatores que aumentam a mortalidade cardíaca é a função do ventrículo esquerdo.

No exame de ecocardiograma, a Fração de Ejeção é a principal medida a ser avaliada.

Os pacientes de alto risco de morte súbita e infarto são os que tem fração de ejeção do ventrículo esquerdo menor que 35%.

Deixe o seu comentário

E então, o que achou?

Você Já teve angina? Como tratou? qual exame você realizou? Como você está se sentindo atuamente? Precisou operar?

Deixe o seu comentário abaixo que ainda ainda irei complementar esste artigo com novas informações, baseadas em suas dúvidas.

Seu título vai aqui

Your content goes here. Edit or remove this text inline or in the module Content settings. You can also style every aspect of this content in the module Design settings and even apply custom CSS to this text in the module Advanced settings.

WhatsApp chat